Leitura da Semana :: WCCM
 

"Jesus - O mestre Interior " - Leitura de 06/01/2013
Laurence Freeman OSB –Extraído de Jesus - O mestre Interior (São Paulo:Martins Fontes, 2004).

 

Recitamos o mantra continuamente, qualquer que seja nosso estado de espírito: “em tempos de guerra e em tempos de paz”, como afirma A Nuvem do Não Saber; “em tempos de prosperidade e de adversidade”, como afirma João Cassiano; “do início ao fim de cada meditação”, como disse, por sua vez, John Main.


Com a prática, o mantra lança suas raízes mais profundamente em nosso ser, estabelecendo a harmonia entre o inconsciente e o consciente. Imperceptível, e gradativamente, ele desce da cabeça para o coração. Com o tempo, repetimos o mantra, o emitimos e, então, o ouvimos, com cada vez menor esforço e maior atenção.


Naturalmente, haverá dias tumultuosos, ou períodos de aridez, na meditação, em que nos parece quase impossível repetirmos o mantra. Procuramos toda e qualquer justificativa para não nos sentarmos para meditar. Quando o fazemos, o mantra é logo sobrepujado por ondas de pensamentos e emoções. Porém, se ainda assim perseverarmos ou recomeçarmos, tal como a semente da parábola, que germina na escuridão uterina da terra (como, não sabemos, disse Jesus), o mantra fielmente nos dirigirá cada vez mais profundamente. E, com a profundidade, vem a clareza, a imobilidade, o autoconhecimento, a grande dádiva da compaixão e a quietude interior que é necessária para uma atenção cada vez mais completa, uma transcendência mais generosa. Imperceptivelmente o mantra progride através do espaço da quietude, entre ondas de pensamentos e da vida interior.[...]


Com o passar do tempo ele nos traz a pobreza autêntica em que aprendemos simplesmente a ser. A experiência dessa realidade amorosa, de tempos em tempos, nos prepara para resistirmos aos muitos reveses e desapontamentos, que acontecem ao longo do caminho. Haverá tempos de derrota. Porém, mesmo quando nos parece que estejamos regredindo, haverá crescimento em andamento, desde que haja fé. Na noite mais escura, uma luz invisível ainda brilha.
Desenvolve-se uma atitude de não possessividade e de confiança, que substitui a ganância e o medo. Com isso vem uma paz que é cada vez mais inquebrantável. Por baixo de toda turbulência, essa paz flui a partir do conhecimento de que somos conhecidos e, uma vez que reconheçamos isso, passa a se tornar a condição para todo o crescimento futuro.

Medite por Trinta Minutos
Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.


 
 
Comunidade Mundial de Meditação Cristã