Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2019 >
Quaresma 2018 >
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Segundo Domingo da Quaresma

D. Laurence Freeman

Segundo domingo da Quaresma 2016

Não se trata simplesmente de mudança, mas de Transfiguração. Houve um momento em que o seguidores mais próximos de Jesus a vislumbraram nele, embora não saibamos como se deu exatamente este momento histórico.

Mas é um fato forçosamente realista, pois combina o sublime e o prosaico:

Jesus levou consigo Pedro, João e Tiago e subiu à montanha para rezar. Enquanto rezava, Seu rosto mudou de aspecto e suas vestes ficaram alvas e luminosas. De repente, surgiram dois homens que conversavam com Ele; eram Moisés e Elias, revestidos de glória, e estavam falando sobre a morte de Jesus, a se consumar em Jerusalém. Pedro e seus companheiros estavam com muito sono, mas permaneceram acordados e viram Sua glória e os dois homens. Quando estes começaram a se afastar, Pedro dissse: “Mestre, é maravilhoso para nós estarmos aqui; vamos então fazer três tendas, uma para vós, uma para Moisés e outra para Elias”. Pedro não sabia o que estava dizendo. Enquanto falava, uma nuvem os cobriu com sua sombra; os três discípulos tiveram medo ao serem envolvidos pela nuvem. E uma voz ecoou da nuvem, dizendo: “Este é o meu Filho, o Escolhido. Escutai-o.” Depois que a voz falou, Jesus encontrou-se sozinho. Os discípulos mantiveram-se em silêncio e, naqueles dias, não contaram a ninguém o que tinham visto. (Lc 9, 28-36).

Moisés (a Lei) e Elias (os Profetas) surgiram ao lado de Jesus testemunhando e sintetizando a relação única que Ele possui com estas forças de todas as religiões. Os discípulos quase adormeceram – uma maneira que encotnramos para escapar às demandas da realidade. Mas, mesmo acordados, eles não estavam plenamente presentes. Tentaram materializar o que viram. Mas transfiguração requer imersão total, sem que se tente experimentar a experiência em si. Em termos atuais, é como se, num momento extraordinário de intimidade e glória, alguém pegue um iPhone e comece a tirar fotos. Como sempre, Pedro ‘erra o passe’; mas ele dá o melhor de si, que é tudo o que nós conseguimos fazer quando estamos recitando o mantra.

Então o mistério, o desconhecimento do momento, cai sobre ele como uma nuvem de não-conhecimento. Eles são arrastados para um útero de silêncio onde a experência irá, com o passar do tempo, desenvolver-se em suas consciências. Só então, mas nem mesmo nesta hora, poderá ser descrita adequadamente.

 


 

Texto original em inglês

Second Sunday Lent

It is not merely about change but Transfiguration. There was a moment when the close followers of Jesus glimpsed this in him although exactly what the historical moment was like of course we can’t know. But it is a compellingly realistic account because it combines the sublime and the very ordinary:

Jesus took with him Peter and John and James and went up the mountain to pray. As he prayed, the aspect of his face was changed and his clothing became brilliant as lightning. Suddenly there were two men there talking to him; they were Moses and Elijah appearing in glory, and they were speaking of his passing which he was to accomplish in Jerusalem. Peter and his companions were heavy with sleep, but they kept awake and saw his glory and the two men standing with him. As these were leaving him, Peter said to Jesus, ‘Master, it is wonderful for us to be here; so let us make three tents, one for you, one for Moses and one for Elijah.’ – He did not know what he was saying. As he spoke, a cloud came and covered them with shadow; and when they went into the cloud the disciples were afraid. And a voice came from the cloud saying, ‘This is my Son, the Chosen One. Listen to him.’ And after the voice had spoken, Jesus was found alone. The disciples kept silence and, at that time, told no one what they had seen. (Luke 9:28-36)

Moses (the Law) and Elijah (the prophets) appear with Jesus – testifying to his unique and synthesising relationship to these two forces of all religion. The disciples almost fall asleep – one way we escape the demands of reality. But even though they stayed awake they were not fully present. They tried to objectify it. But transfiguration is about full immersion, not trying to experience the experience. In modern terms it is like at an extraordinary moment of intimacy and glory together when one of you pulls out an iPhone and starts taking pictures. As usual Peter muffs it; but he does his best which is also all we can do when we are saying the mantra.

Then the mystery, the unknowability of the moment, descends on them like a cloud of unknowing. They are plunged into a womb of silence where the experience will, over time, develop in their consciousness. Only then, and not even then, can it be adequately described.

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.