Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2019 >
Quaresma 2018 >
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Sexta-Feira da primeira semana da Quaresma

D. Laurence Freeman

Ocasionalmente, não frequentemente, num estado de meio-sonhando alguém pode ver a resposta para tudo. Chega como uma surpresa, mas principalmente esse alguém vê quão simples e óbvia ela é.

É uma visão indescritível, mas ela traz um sentimento irresistível de paz e alívio final. Todo o complexo caos do mundo, em seu confronto com as dimensões do tempo, das perspectivas subjetivas e objetivas, do medo e da esperança, do desejo e da pobreza, do imaginado e do tangível, tudo isso desliza suavemente para uma harmonia encantadora e fácil.

A luta incessante para colocar as coisas em ordem chega a um fim sem luta. A nave do questionar-se encontra seu porto enquanto ainda veleja pelos altos mares. O problema é lembrar-se do que viu. Mais ainda é o problema de conceituar ou de imaginar o que se viu. A memória trabalha com ideias ou imagens que de alguma forma, embora imperfeita, coagula o fluxo da consciência. Mas a visão em si é fluxo puro. A verdade sangra. “Você não pode dizer aqui está ou ali está” como Jesus falou do Reino do Céu. Assim a pessoa é deixada com uma pequena, mas vívida, lembrança desvanecida da experiência única que satisfaz o anseio do coração. Quanto mais a pessoa tenta recaptura-la, mais ela rescende em direção ao horizonte e eventualmente desaparece. Logo a pessoa duvida que isso realmente tenha acontecido.

Jonathan Keats, o poeta romântico que morreu aos 25 anos e é muitas vezes dito ser o escritor Inglês mais parecido com Shakespeare, escreveu em sua ode “quando eu tiver medos de que eu possa deixar de ser” de seu medo de falhar em alcançar a grandeza. Vendo a morte se aproximar antes que seus poderes amadurecessem ele passou por um pavor de falhar numa grande liberdade nessas margens onde só a liberdade de ambição e desejo, é encontrada: então nas margens Do vasto mundo em que eu permaneço sozinho, e penso Até que o amor e a fama absolutamente por nada afundam.

Se, durante a Quaresma, nós pudermos fazer um pouco do que toda a sabedoria espiritual aconselha e realmente sentir nossa mortalidade nós poderemos chegar a essa margem do vasto mundo. Nós recobraremos então sem esforço as perspectivas curativas que caem no colo daqueles que não estão tentando agarrá-las.

 


 

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.