Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2019 >
Quaresma 2018 >
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Quinta-Feira após as Cinzas

D. Laurence Freeman

Os Cristãos não são os únicos a terem um período especial para o desenvolvimento espiritual. Os monges Budistas, especialmente os da tradição Teravada, têm a Vassa, quando, por causa das chuvas de monções, eles interrompem suas peregrinações e ficam retirados por três meses.

Os monges devotam mais tempo para a meditação, o estudo e o ensinamento dos monges mais novos. Os leigos também elevam suas práticas espirituais e os trabalhos de caridade (incluindo alimentar os monges).

Os Muçulmanos observam o Ramadã, o mês no qual o Alcorão foi transmitido, praticando jejum de alimentos e bebidas entre o nascer e o por do sol. Isso tem o objetivo de renovar o foco na oração. Eles tentam recitar todo o Alcorão mas também evitam raiva e malícia. Conforme eles comem menos eles aumentam o alimento espiritual.

Os ocidentais secularizados evitam o ângulo religioso com motivos menos transcendentais mas por um certo período podem fazer uma dieta, inscrever-se em um curso ou ir para a academia.

Os Cristãos sentem-se inspirados pelo símbolo bíblico do deserto como um lugar de purificação, redução às coisas essenciais e de encontro com Deus. Dura 40 dias (46 se você incluir os Domingos nos quais alguns entendem que é apropriado não observar a Quaresma uma vez que é o dia no qual a Ressurreição é sempre celebrada). É uma preparação para o mistério Pascal, para que então o indivíduo possa entrar na Páscoa de forma mais consciente e proveitosa. É também uma imitação dos 40 dias (um número completo) que Jesus passou no deserto, foi tentado com orgulho, poder e auto-suficiência por diferentes ataques do ego, mas emergiu foritificado, esclarecido e preparado para a sua missão de vida.

Em uma cultura de celebridade nós idolatramos aqueles que criam com sucesso uma única auto-imagem pública que os tornam a inveja das massas. Personalidades do meio esportivo, atores ou estrelas de rock exemplificam o objetivo de se destacar da multidão para que a multidão imite o seu estilo e até as suas idéias. Uma celebridade então é uma armadilha auto-contraditória, imitando o inimitável.

Os modelos de exemplo espirituais não são celebridades, tanto porque não têm interesse em fama como porque ficam felizes de serem imitados e superados. Eles são sábios -- exploradores inteligentes que vivem em harmonia com o seu ambiente e têm como sua primeira prioridade o bem dos outros. "Eu vim não para julgar o mundo, mas para curá-lo. Eu vim para que tenham vida em plenitude" é como Jesus expressa isso. Eles não estão conscientemente avaliando sua própria performance ou analisando sua pontuação. Eles ensinam pelo altamente consciente exemplo inconsciente que é a alma do altruísmo.

O peregrino da Quaresma deveria estar feliz de imitar um mestre assim e, desta forma, ultrapassar os obstáculos, apegos e maus hábitos que o limitam. Seguir o ensinamento e o exemplo de Jesus com relação à interioridade e o seu frequente recolhimento de atividades para praticar contemplação, do mercado para o deserto, está implícito em nossas disciplinas escolhidas na Quaresma e especialmente no batimento cardíaco gêmeo da nossa meditação diária.

 



Texto original em inglês

Thursday after Ash Wednesday

By Laurence Freeman OSB

Christians aren’t the only ones to have a special season for spiritual development. Buddhist monks, especially Theravadans, have Vassa, when, because of the monsoon rains, they give up their wandering and stay at home for three months. Monks devote more time to meditation, study and the teaching of the younger monks. Lay people also step up their spiritual practices and good works (including feeding the monks).

Muslims respect Ramadan, the month in which the Koran was transmitted, by not eating or drinking between dawn and sunset. This is meant to renew their focus on prayer. They try to recite the entire Koran but also to avoid anger and malice. As they eat less they increase their spiritual food.

Secularised westerners avoid the religious angle with less transcendent motives but for a set period may go on a diet, sign up for a course or go the gym.

Christians feel inspired by the biblical symbol of the desert as a place of purification, reduction to essentials and encounter with God. It lasts for 40 days (46 if you include the Sundays on which some feel no Lenten observance is appropriate as it is the day the Resurrection is always celebrated). It is a preparation for the Paschal mystery, so that one can enter into Easter more consciously and profitably. It is also an imitation of the forty days (a complete number) that Jesus spent in the desert, was tempted with pride, power and self-reliance by different assaults of the ego but emerged strengthened, clarified and prepared for his life-mission.

In a celebrity culture we idolise those who successfully create a unique public self-image that makes them the envy of the masses. Sports personalities, actors or rockstars exemplify the goal of standing out from the crowd so that the crowd can imitate their style and even their ideas. Celebrity is thus a self-contradictory trap, imitating the inimitable.

Spiritual exemplars are not celebrities, both because they have no interest in fame and because they are happy to be imitated and excelled. They are sages – wise explorers who live in harmony with their environment and have the good of others as their first priority. “I have come not to judge the world but to heal it. I have come so that you may have life in all its fullness’ is how Jesus expresses this. They are not self-consciously regarding their own performance or watching their ratings. They teach by the highly conscious unconscious example that is the soul of altruism.

The Lent pilgrim should be happy to imitate such a teacher and thereby shed the obstacles, attachments and bad habits that hold them back. Following the teaching and example of Jesus with regard to interiority and his frequent withdrawal from activity to contemplation, from the market place to desert, is implicit in our chosen disciplines of Lent and especially in the twin pulse-beat of the daily meditation.

 

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.