Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2019 >
Quaresma 2018 >
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Séries de Palestras

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Sexta-feira da Quarta Semana da Quaresma

D. Laurence Freeman

João7: 1-2,10,25-30: Jesus percorria a Galileia

Ele falava e agia e, é claro, agia de acordo com o que dizia. Ele não publicava, não dava entrevistas, não falava com profissionais de marketing e nem mesmo escrevia suas reflexões.

Não sabemos se ele tinha uma agenda ou se marcava consultas. A sensação é a de que ele estava presente fosse onde fosse, e via a dimensão do profundo, eterna e lucidamente presente em todos e em qualquer ocasião. Ele era espontâneo, mas não desorientado. Ele se defrontava quotidianamente com a realidade e a realidade sempre corria para encontrá-lo. Devido à essência que exalam pessoas assim são extremamente atraentes, embora frequentemente amedrontadoras quando chegamos muito perto.

Francisco de Assis parece ter sido uma pessoa assim. Ramana Maharshi, que nunca saiu do lugar em que se instalou aos dezesseis anos era, por paradoxal que possa parecer, também assim. Certa vez perguntaram a ele porque não viajava pelo mundo levando sua paz para as multidões em que era necessária. “Como você sabe que eu não faço isso?”, ele respondeu.

Quando Yeshua andou pela Galiléia ele foi consistentemente sereno ainda que fonte de manifestações em muitos lugares. As pessoas que ficam em casa, mas sonham com viagens e ir para outro lugar, nada têm de comparável com essa serenidade. São Bento diz que para um monge “nada haver mais caro que o Cristo”. Muito cedo na minha vida monástica eu ouvi a versão irônica dessa fala “nada haver mais caro que uma viagem”, dita por monges que entenderam serenidade em termos geográficos, prioritariamente. 

Naturalmente podemos também ser ativos como uma maneira de estarmos um passo à frente da realidade, buscando estar distantes de algo e estarmos protegidos disto. Mas a estabilidade, esteja você ocupado ou não, é fruto da meditação. Os momentos de meditação de manhã e à tarde emitem pulsações que mantém tudo encaixado. Esses momentos produzem clareza, discernimento e julgamento acertado que melhoram a qualidade e outros balanceamentos para nossas vidas. A serenidade une o ponto de partida e o lugar de chegada, em dinâmica harmônica e em radical abertura para mudanças. Não é um mau objetivo para apreender, mesmo que seja na parte final da Quaresma.


Com amor
Laurence


Texto original em inglês

Friday 4th Week Lent

John 17: 1-2,10,25-30: Jesus moved about within Galilee

He walked and talked and, of course, walked the talk. He wasn’t publishing or doing interviews or checking with his PR advisors or even writing reflections. We don’t know if he had a schedule or made appointments. The sense is that he was present wherever he was and saw the depth dimension, the eternal, lucidly present in everyone and every occasion. He was spontaneous but not a drifter. He met reality continually and reality was always rushing to meet him. Because of the tang of reality they emit, such people are powerfully attractive, although often frightening too when we get too close.

Francis of Assisi seems to have been such a person. RamanaMaharshi who never moved from the place he settled in at the age of sixteen was, odd though it may sound, another. He was asked once why he didn’t travel the world bringing his peace to the masses where it was needed. ‘How do you know I don’t?’ he replied. 

When Yeshua moved about Galilee he was a consistently steady still point manifesting in many places. People who stay at home but fantasise about trips and being elsewhere do not have anything like this stability. St Benedict says the monk ‘must prefer nothing to Christ’. Quite soon in my monastic life I heard the ironical version of this, ‘prefer nothing to a trip’, from monks who had come to understand stability primarily in geographical terms. 

Of course we can also be on the move as a way of keeping one step ahead of reality, being on the run from something and protecting ourselves from it. But stability, whether you are busy or not, is a fruit of meditation. The morning and evening sessions emit a pulse that keeps everything aligned. It produces the clarity, discernment and good judgement that improves the quality and other-centredness of our lives. Stability brings the point of departure and the place of arrival together in a dynamic stillness and a radical openness to change. Not a bad goal to identify even in the last part of Lent.

With love

Laurence

 

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.