Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2019 >
Quaresma 2018 >
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Séries de Palestras

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Quinta-feira da Terceira Semana da Quaresma

D. Laurence Freeman

Lucas, 11, 14-23: Quem não estiver comigo estará contra mim, quem não recolhe comigo, dispersa

Certa vez, eu estava meditando tarde da noite, no início de um retiro; e a carne estava fraca. Eu sabia que não tinha cochilado a ponto de cair da cadeira, mas minha sonolência tirou um pouco da autoridade de minhas observações prévias sobre sentar-se com a coluna reta e permanecer alerta.

No dia seguinte, um dos participantes do retiro me perguntou se eu tinha alguma técnica especial para permanecer sentado durante a meditacão. Eu disse: “Não, por que você pergunta?” E ele respondeu: “Eu fiquei observado você durante a meditação de ontem à noite e notei seu corpo balançando levente pra frente e pra trás. Já vi uns sábios judeus fazendo isso enquanto lêm as escrituras e fiquei imaginando se era isso.” Minha reputação foi salva.

“Você está comigo?” é uma pergunta que poderíamos fazer a alguém ou a um grupo de pessoas com quem estamos falando, para ter certeza de que não adormeceram durante nossa fala. Ou, no momento crítico de uma negociação em que precisamos saber quem está ou não do nosso lado. Ou então a um companheiro durante uma perigosa caminhada no escuro à beira de um abismo, para nos certificarmos de que ele não caiu.
Acho que não era nada disso que Jesus queria dizer com seu “comigo”. Poderíamos ainda estar “com ele” mesmo que tivéssemos adormecido ou sentindo isolamento num lugar desagradável. Ele próprio se sentiu abandonado, mas não desconectado de seu Pai no fim de sua vida –experiência estranha e talvez única de comunhão e separação simultâneas.

Acho, porém, que, nestas palavras, ele se refere a um conhecimento mais profundo do que aquele baseado em evidências, ou seja, o que podemos ver ou deduzir. O oposto disso não é a ignorância em seu sentido usual de não saber, mas de “dispersar”. Estar disperso significa ter nosso eu (self) diluído em distrações, expandido em excesso por estímulos ou fragmentado numa miríade de linhas fantasiosas. É um estado em que não podemos fazer ou falar nada de útil, e que pode ser perigoso, se fingirmos estar presentes. Há pessoas casadas e monges em monastérios que entram neste estado, figem estar presentes, mantendo as aparências, mas que na verdade estão ausentes. O lugar onde estas pessoas estão é um mistério, principalmente para elas mesmas.

Este Evangelho trata de curar do demônio da mudez, de permitir a recuperação da fala e da comunicação. Algumas pessoas que assistiram cochichavam que Jesus estava usando poderes demoníacos para expulsar os demônios, contradição apontada por ele. Estas eram as pessoas que não estavam com ele, porque não estavam em nennhum lugar significativo.
Isso é bem pior do que o cochilo de um meditante.
 

Com amor

Laurence

 


 

Texto original em inglês

Thursday 3rd Week Lent 2015
Luke 11:14-23: Whoever is not with me is against me, and whoever does not gather with me scatters

I was once meditating late one evening at the beginning of a retreat. I had arrived that day after a long flight; and the flesh was weak. I knew I didn’t nod off to the extent of falling off the chair but my drowsiness made my earlier remarks about sitting upright and alert sound a little lacking in authority. The next day one of the retreatants asked me if I used a special sitting technique during meditation. I said ‘no, why do you ask?’ ‘It’s just that I was watching you,’ he replied’ during the meditation last night and you were rocking to and fro. I saw some Jewish scholars reading scripture like that once and I just wondered.’ My reputation was saved.

“Are you with me?” It’s a question we might ask someone or a group we are talking to, to make sure they haven’t gone off to sleep while we were talking to them. Or, at a critical moment in negotiations when we need to know who is on our side and who isn’t. Or to a companion during a dark and dangerous walk along a cliff-edge to reassure ourselves they haven’t fallen off.

I don’t think Jesus means any of these by ‘with me’. We might still be ‘with him’ even if we had fallen off to sleep or feeling isolated in a hard place. He himself felt abandoned but not disconnected from his Father at the end of his life – a strange and perhaps unique experience of communion and separation.

In this saying, however, I think he means a deeper knowledge than is provided by evidence-based research – what we can see or deduce. It’s the knowledge that is knowing not the knowledge stored in memory. The opposite of it is not ignorance in the usual sense of not knowing something but ‘scattering’. To be scattered is to have our sense of self-diluted by distraction, over-extended by stimulation or fragmented in a myriad lines of fantasy. It is a state in which we can say or do nothing useful and in which we may be dangerous if we can pretend to be there and with it. There are people in marriages and monks in monasteries who have slipped into this state and keep up appearances but are not really there any more. Where they actually are is a mystery especially to themselves.

This gospel is about healing the demon of muteness, allowing the person to speak, to communicate again. Some people watching whispered Jesus was using demonic powers to cast out the demon, the incongruity of which he pointed out. These were the people who were not with him because they weren’t anywhere that matters.
Much worse than a meditator nodding off.

With love

Laurence

 

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.