Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2019 >
Quaresma 2018 >
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Séries de Palestras

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Domingo da terceira semana da Quaresma

D. Laurence Freeman

Reflexões da Quaresma - Laurence Freeman

"A mulher disse para ele, 'eu sei que aquele messias - ou seja, Cristo - está chegando; e, quando ele chegar, vai nos revelar tudo.' 'Sou eu que estou falando com você', disse Jesus, 'eu sou ele'".

Este é o diálogo conclusivo entre a mulher samaritana e Jesus no evangelho de João, uma das cenas mais dramatizadas do evangelho. É cheio de nuances e um certo detalhe teatral (Jesus estava cansado e com sede), mal-entendidos, e esta quase casual, única, autorrevelação. Não ficamos sabendo qual foi a reação da mulher. Deve tê-la tomado de surpresa, por sua personalidade naturalmente discreta, e tê-la feito reavaliar tudo que ocorrera até aquele momento. Ela tinha confiado nele, mas agora ele levava a confiança ao teste extremo. É típico do evangelho deixar a cena se encerrar em suspense. Numa série de tevê, esperamos por isso porque sabemos que haverá o próximo episódio e o suspense se resolverá, enquanto nos preparamos para o próximo momento emocionante. Mas o último episódio da série sempre termina com um encerramento conclusivo, em geral, final feliz.

Gostamos de finais felizes e, normalmente, não gostamos de ser deixados soltos no ar. Mas isso é mais parecido com a vida real. Não há término a menos que consideremos a morte como tal; e, se ouvirmos o envangelho, sabemos que nem a morte é o fim, mas um túnel ligando dois lados da montanha da vida. Não estaríamos ouvindo a história de Jesus e da mulher se a pessoa que a está contando não tivessse visto a luz no fim do túnel e a reconhecido como a luz de Cristo. O relato inacabado se torna a próxima guinada na história para nós, à medida em que assumimos a responsabilidade que surge com o ato de ouvir.

 


 

Texto original em inglês

Sunday Lent Week 3

“The woman said to him, ‘I know that Messiah – that is, Christ – is coming; and when he comes he will tell us everything.’ ‘I who am speaking to you,’ said Jesus ‘I am he.’”

This is the concluding dialogue between the Samaritan woman and Jesus in the gospel of John, one of the most dramatised scenes in the gospel. It is full of nuance and a blend of theatrical detail (Jesus was tired and thirsty), misunderstanding and this almost casual and uniquely direct self-revelation. We don’t hear how the woman reacted to this. It must have taken her, a naturally guarded personality, by surprise and made her re-evaluate everything that had gone before. She had come to trust him but now he put his credibility to the ultimate test. It is typical of the gospel that the closing of the scene is left hanging in suspense. In an online TV series we expect this because we know there will be the next episode and the cliff-hanger will be resolved as we prepare for the next thrilling instalment. But the last show in the series always concludes with a very final, usually happy wrap-up.

We like happy endings and we don’t like being left hanging in the air. But that’s more like real life. There is no final ending unless we take death as being it; and if we listen to the gospel even that is not an end but a tunnel connecting two sides of the mountain of life. We would not be hearing the story of Jesus and this feisty woman if the person telling it had not see the light at the end of the tunnel and recognised it as the light of Christ. The unfinished story turns the next twist in the tale over to us as we hold the responsibility that comes with the act of listening.

 

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.