Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2019 >
Quaresma 2018 >
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Séries de Palestras

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Sábado da 1ª semana da Quaresma

D. Laurence Freeman

Os maiores cientistas do nosso tempo não são materialistas. Eles estão observando o universo em termos de sua rede de conexões, o espaço entre coisas que são eles mesmos campos energéticos de conexão, e até o momento fontes inimagináveis de uma nova compreensão do humano, do cósmico e do divino.

Como a arte, a ciência verdadeira é visionária e utiliza novos e admiráveis modelos da realidade para pesquisar quem somos e onde estamos. Tudo o que sabemos sobre o mundo neste sentido é metafórico. O grande Aquino dizia que só podemos falar a respeito de Deus por analogia. Jesus utiliza a metáfora surpreendente de um pai – “meu pai e seu pai” – em uma expressão íntima, abba, para indicar a conexão com o mais elevado mistério “que habita em uma luz da qual não podemos nos aproximar”. Não deveríamos nos distrair pelo aspecto de gênero desta metáfora, ou com nossas experiências psicológicas pessoais relativas a um pai.

Eileen O’Hea perguntou certa vez ao Dalai Lama “se você pudesse se encontrar com Jesus, o que perguntaria para Ele?” Ele respondeu imediatamente: “qual a natureza do Pai?”

Para entender o poder libertador e revelador destas grandes imagens e ideias – da ciência e da religião e, cada vez mais, nos dias de hoje, da combinação de ambas – nós precisamos de espaço mental. Este é o espaço de manobra em que entendemos as metáforas sem nos deixarmos seduzir pela idolatria resultante de interpretá-las literalmente. Para o fundamentalista, nada é mais assustador do que este espaço de manobra. Eles costumam denominá-lo “esvaziar a mente para que o demônio possa entrar”.

A compreensão cristã deste espaço de manobra, porém, é a “pobreza de espírito” – um estado da mente e do coração em que estamos abertos para o mistério, sem nos apegarmos a nada que chamemos de nosso, sem nenhuma fixação possessiva ou emocional. Nós não invadimos nem colonizamos a terra da verdade. Nós nos movemos para dentro dela. Na realidade, nós somos conduzidos pela mão para dentro dela.

A Quaresma é um tempo para recriar este espaço, para se desfazer da desordem das possessões e dos ídolos. A meditacão é a disciplina que faz disso uma experiência mais do que apenas uma ideia.

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.